quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Cinema e Educação

Uso Educacional
 
"Toda imaginação é uma espécie de memória".
Shirley MacLaine
Livro: Dançando na luz, Rio de Janeiro: Record, 1987, p. 37


O texto abaixo é resultado da "coleção" de trechos importantes do curso oferecido no programa Profuncionário (Brasil, MEC, 2006). Tem o objetivo de auxiliar estudante e profissionais que necessitem de algumas definições básicas sobre a linguagem audiovisual, também algumas indicações de livros e filmes. Ao final, faça seus comentários para que possamos aprimorar esta publicação. Um abraço!


A linguagem audiovisual é feita da junção de elementos de duas naturezas: sonoros e visuais.  (Brasil, 2006, p.16) A narrativa podem ser comédia, drama, ficção, documentário, policial, suspense, terror, western, romance. (Brasil, 2006, p.22-23)    
"Os audiovisuais participam desse grande motor que é a indústria cultural. (...) A terminologia "indústria cultural" surge no âmbito dos estudos críticos da Escola de Frankfurt. (...) São os frutos e os processos de comunicação de veiculação de massa e contribuem para o estabelecimento de uma certa oposição entre a cultura popular, de massa e a erudita." (Brasil, 2006, p.22-24) 


Contextualização Histórica

Nos anos 1930, um decreto presidencial criou facilidade para a produção do cinema educativo no Brasil. Um dos filmes importantes desse período do Instituto Nacional do Cinema Educativo (INCE - fundado por Edgard Roquete Pinto, antropólogo, cientista e professor) é O Descobrimento do Brasil, dirigido por Humberto Mauro, com música de Heitor Villa-Lobos.

Em 1965, o Brasil entrou na era espacial quando adquiriu um satélite de comunicações , fato que ampliou consideravelmente a capacidade de transmissão de sinais de televisão e telefonia naquela época. (Brasil, 2006, p.35)

Quatro anos depois, após relatório produzido por pesquisadores da Comissão Nacional de Atividades Espaciais (CNAE, fundada em 1966, três anos antes do CNPq), aprovou-se o Projeto SACI (Sistema Avançado de Comunicações Interdisciplinares) que propunha resolver o problema da educação popular pela tele e radiodifusão. Este recurso é chamado de instrução programada.
"A instrução programada, um tipo de ensino centrado no aluno, estava muito em moda nessa época. Trata-se da aplicação dos estudos do psicólogo americano Burrhus Frederic Skinner, que propalava a eficiência do reforço positivo e de máquinas de ensinar, suas mais conhecidas aplicações educacionais." (Brasil, 2006, p.36)


Glossário da Linguagem Audiovisual

Continuidade
Puxa o fio dos acontecimentos e permite que os espectadores n]ao se percam na história.

Importância da Trilha Sonora:
Som, silêncio e a fala, os diálogos e monólogos, compõem o que chamamos em linguagem audiovisual de trilha sonora. (Brasil, 2006, p.60)
Banda Sonora é o som no filme e na televisão. (Brasil, 2006, p.60)
A música é decisiva numa trilha sonora. O tema musical sempre guarda relação com alguns personagens ou situações que se repetirão ao longo do audiovisual constituindo assim um fio condutor da história. (Brasil, 2006, p.61)

Iluminação Técnica (Brasil, 2006, p.58)
Luz baixa posiciona-se no chão ou em planos inferiores ao objeto, pessoa ou cena.
Luz Frontal constrói imagens claras, sem relevo, contraste e profundidade. Fica uma fotografia chapada.
Iluminação Lateral deixa o assunto fotografado muito escurecido em um lado e muito iluminado no outros. As imagens ficam como silhuetas quando o assunto principal está posicionado em local com menos luz no fundo.

Mensagem subliminar
é aquela que se utiliza da chamada arte da persuasão inconsciente. Propaganda subliminar é sempre transmitida em um baixo nível de percepção, tanto auditiva quanto visual. Nesse exemplo que damos da bandeira nos filmes, no fundo do cenário, enquanto outros personagens desempenham seus papeis em primeiro plano. A absorção desse tipo de informação acontece no nosso subconsciente, ela é captada e assimilada sem a barreira do consciente. (Brasil, 2006, p.32)

Planos Definição na linguagem do Cinema:
Plano é a unidade mínima da narrativa cinematográfica, expressa um ponto de vista. Por isso chamamos de plano o registro que é feito que é feito do momento em que o botão de filmagem é acionado e inicia a gravação e o momento em que se para de filmar ou gravar (Brasil, 2006, p.63)

Plot é o núcleo central da ação dramática, é que interliga as personagens pro meio de problemas, conflitos, intrigas, paixões, ódios, rancores, amores. (Brasil, 2006, p.60)

"Quando filmes são projetados é como se o passado e o presente fossem fundidos no tempo da projeção. Toda projeção é sempre no presente. Também sabemos que muitos estágios da nossa e de outras civilizações são coletâneos. As imagens e sons que temos em película e em meios eletrônicos sugerem que muitas outras manifestações da cultura ainda são possíveis, estão por acontecer e por serem registradas.
Há toda uma história a ser contada, imagens a serem mostradas, sons a serem ouvidos, de um país que pulsa em inúmeras expressões de vida e manifestações culturais. Alfabetizar, como acesso ao mundo da escrita, deve ser entendido também como alfabetizar na linguagem audiovisual, aprende a ler o mundo por meio das imagens e das palavras, isso sugere uma compreensão da cultura e do sentindo de liberdade que envolve casa ato humano, individual ou coletivo." (BRASIL, 2006, p.69-70)

"(...) o filme está sempre no presente, mesmo quando procura retratar histórias acontecidas em tempos remotos. Assim, o cinema inaugura uma maneira nova de estar e de olhar para o mundo e, mais ainda, estabelece uma nova forma de inteligibilidade. Depois do cinema, as pessoas passaram a contar com um instrumento poderoso de conhecimento do mundo, de si próprias, do comportamento humano, de lugares, de situações, da história. Jamais o homem esteve tão exposto com todas as suas virtudes e mazelas como no cinema." (Brasil, 2006, p. 82)


Referência bibliográfica

COUTINHO, Laura Maria. Audiovisuais: arte, técnica e linguagem. 60 horas. Brasília: Universidade de Brasília 2006. [BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Profuncionário. Curso Técnico de Formação para os Funcionários da Educação. ISBN 85-86290-79-3]


Sugestões de Livros:

Câmera Clara, de Michel Lahud (1993).
COUTINHO, L. M. O estúdio de televisão e a educação da memória. 2003.
O primeiro cinema: espetáculo, narração, domesticação, de Flávia Cesarino Costa (1995)
O último suspiro, de Luis Buñuel (1982).


Indicações de Filmes:

A corrente do bem (2000). Temática: a escola retratada pelo cinema.

 
 
A velha a fiar, de Humberto Mauro.
Filme sonoro, de 35mm, 6 min com temática do folclore, música de Aldo Taranto e cantada pelo trio Irakitan. Documentário abaixo.

Abril despedaçado (Brasil, 2000). Temática: rodado no interior da Bahia, inspirado no livro do albanês Ismael Kadaré, o filme retrata a luta entre famílias, uma vendeta e o compromisso dos filhos em seguir o mesmo caminho dos pais. Atenção à indicação de censura: o espírito de vingança entre as famílias do nordeste brasileiro é provocado por uma série de assassinatos, os quais são percebidos nos muitos momentos de silêncios que o filme mostra.

Adeus Meninos (1987). Temática: a escola retratada pelo cinema. Crítica, abaixo.
Cena de despedida de Adeus, Meninos. (abaixo)


Conrack (1974). Temática: a escola retratada pelo cinema.
Parte 1/4
Parte 2/4
Parte 3/4
Parte 4/4 - Final

Metrópolis, de Fritz Lang. Temática: trabalho, homens, máquinas.
 
Meu mestre, Minha vida (EUA, 1989). Direção: John G. Avildsen. Temática: Recursos Sons/Silêncio (pausas) trata "a redenção da escola pobre, do bairro ainda mais pobre,(...) na qual os alunos estavam reféns de traficantes, vândalos e toda a sorte de bandidos e, pera intervenção de um novo diretor com métodos nada convencionais de ensinar e administrar uma instituição escolar, conseguem vencer o exame estadual em tempo recorde." (Brasil, 2006, p.78)
(Recorte do filme. Fonte: Youtube)


Os filhos do paraíso. (1997)


Perfume de Mulher (EUA, 1997). Temática: Deficiência Visual; Dança.
(Trecho)


Sociedade dos Poetas Mortos (1989). Temática: a escola retratada pelo cinema.

Tempos Modernos, de Charles Chaplin. Temática: modernidade.

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Arte para que?

Olá, amigos e amigas!

Todas as turmas em que inicio as aulas de Artes, busco apresentar a técnica do Desenho de uma maneira simples para que todos possam representar o mundo sem o tradicional "medo de riscar o papel".

Compreender que o risco sobre o papel é uma forma artística de expressão nos leva a um caminho de total liberdade!

Muitos antes de mim (... e muitos, mesmo!) tentaram organizar os modos de ensinar Arte. O melhor exemplo que posso citar é a escola de Artes e Ofícios alemã do século XX, a Bauhaus.


Esquema do programa de ensino da Bauhaus.
Fonte: WICK, Rainer. Pedagogia da Bauhaus. São Paulo: Martins Fontes, 1989. p.88. 

O esquema acima demonstra que Arte vai além de expressão e de beleza. Vale a pena acompanhar as postagens deste blog e conhecer as novidades que virão! 

Tem alguma dúvida, gostaria de fazer alguma sugestão ou comentário... Poste abaixo!

Vida longa para as Artes e seus usos! Até breve...


sexta-feira, 28 de abril de 2017

Pensando em Arte-educação: você já ouviu falar em Acessibilidade e Tecnologia Assistiva?

uso educacional

Conquistas que desencadearam a Educação Inclusiva no mundo


educação inclusiva é uma realidade nas escolas brasileiras. É direito de nossos alunos ter acesso aos conhecimentos em todas as áreas e sob todos os aspectos, principalmente sociais.

Desde a década de 1990, tem-se discutido a respeito dos direitos das pessoas com deficiência. Para conhecer esse contexto, será apresentada uma linha do tempo sobre os documentos produzidos:
  • 1990 - Declaração Mundial sobre Educação para Todos / Unesco *
  • 1992 - Declaração de Vancouver
  • 1993 - Declaração de Santiago
  • 1993 - Declaração de Maastricht
  • 1993 - Declaração de Manágua
  • 1993 - Normas sobre a Equiparação de Oportunidades para Pessoas com Deficiência *
  • 1993 - Inclusão Plena e Positiva de Pessoas com Deficiência em Todos os Aspectos da Sociedade*
  • 1994 - Declaração de Salamanca e Linhas de Ação sobre Educação para Necessidades Especiais / Unesco
  • 1999 - Carta para o Terceiro Milênio
  • 1999 - Declaração de Washington
  • 1999 - Convenção Interamericana para Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Pessoas Portadoras de Deficiência (Convenção de Guatemala) / Organização dos Estados Americanos (OEA)
  • 2000 - Declaração de Pequim
  • 2000 - Declaração de Manchester sobre Educação Inclusiva
  • 2001 - Classificação Internacional Funcionalidade, Deficiência e Saúde (CIF) / Organização Mundial da Saúde (OMS), que substitui a Classificação Internacional de Impedimentos, Deficiências e Incapacidades / OMS, de 1980
  • 2002 - Declaração Internacional de Montreal sobre Educação Inclusiva
  • 2002 - Declaração de Madri
  • 2002 - Declaração de Sapporo
  • 2002 - Declaração de Caracas
  • 2003 - Convenção Internacional para Proteção e Promoção dos Direitos e Dignidade das Pessoas com Deficiência / ONU
  • 2003 - Declaração de Kochi
  • 2003 - Declaração de Quito
  • 2004 - Declaração Mundial sobre Deficiência Intelectual
* Documentos do Sistema da Organização das Nações Unidas (ONU)

O objetivo de mostrar a sequência dos fatos é apresentar a importância das nossas conquistas. A Legislação Brasileira tem feito esforços para pô-las em prática. 

...E a acessibilidade?

Atualmente este termo se amplia, da mesma forma que a tecnologia. Tem-se tratado também de acessibilidade virtual, que se refere ao acesso aos meios eletrônicos computacionais, e de acessibilidade sociodigital, com maiores indicações de responsabilidade social.

Como esse tema se estende e ganha espaço todos os dias, a intenção é "provocar" para a leitura do livro digital de acesso público: 


Tecnologia Assistiva

É um conjunto de recursos e serviços que contribuem para que pessoas com deficiência possam ampliar suas habilidades funcionais. Existe um universo de descobertas que pode iniciar pela curiosidade e conduzir ao engajamento social.

Outra sugestão de acesso é a homepage Tecnologia Assistiva. Tem autorização das autoras para acesso e reprodução dos conteúdos e com certeza contribuirão muito para profissionais de todas as áreas, principalmente da Educação e da Saúde.


Obtenha materiais adaptados também no site Mais Diferenças, clicando aqui.

Até o próximo post!



quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Novas Postagens, Novos Rumos Para a Arte

Olá, amigos!

Nestes últimos dias tenho feitos postagens pelo blog


É um espaço democrático para navegação de professores, alunos, amantes da arte ... e para as pessoas que querem saber um pouco mais!

A arte paranaense também tem seu espaço de destaque no blog, refletindo nossa identidade e raiz.


Grande beijo, forte abraço!


Ei, você... Escreva-me!!!

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Chiquinha Gonzaga (1847-1935)

Uso Educacional

Chiquinha Gonzaga (1847-1935) 

Foi uma das mais importantes musicistas brasileiras. Suas composições inovaram os modos musicais e retrataram o valor da mulher na sociedade, principalmente em sua época.

Uma das marchinhas carnavalescas mais conhecidas de Chiquinha Gonzaga é "Ó abre alas", de 1939. [Dobrado Carnavalesco, da peça de costumes carioca "Não Venhas!..."]




"A pioneira marchinha de carnaval não conheceu publicação, como tal, em vida da compositora. Criada durante ensaio do cordão Rosa de Ouro no Andaraí, bairro na Zona Norte do Rio de Janeiro, onde residia a maestrina na ocasião, a despretensiosa marchinha foi inspirada no andamento do cordão, que sabemos utilizar a procissão religiosa como matriz. Nascia ali, em fevereiro de 1899, a marchinha, um gênero novo que ainda prestaria grandes serviços ao carnaval carioca. Até então, a festa que viria a representar a nacionalidade brasileira não tinha música própria. Nos bailes mascarados dos salões, a elite dançava ao som de polcas, habaneras, quadrilhas, valsas e mazurcas, enfim, dos gêneros de dança de salão da época. Nas ruas, o povo se divertia com a percussão do zé-pereira, o som de baterias cadenciadas e canções reaproveitadas: cantigas de roda, hinos patrióticos, chulas, trechos de óperas, árias de operetas, fados lirós, quadrinhas musicadas na hora e até marcha fúnebre. É certo que ranchos e cordões, na virada do século XIX para o XX, já se utilizavam de certas canções, inclusive um tipo de marcha apropriada no andamento, e bradavam também a palavra de ordem para abrir passagem na multidão. Mas uma música especialmente concebida para a festa não ocorrera a nenhum compositor. Chiquinha Gonzaga fixou definitivamente o gênero ao criar a canção carnavalesca. Com isso ela se antecipou em 18 anos, pois só a partir de 1917 o carnaval passaria a ter música regularmente. Incapaz de prever o que a posteridade reservava à sua singela marchinha, Chiquinha a incluiu na peça de costumes cariocasNão venhas!…, representada no Teatro Apolo em janeiro de 1904. Logo publicada por seu editor como ‘dobrado carnavalesco’, servia ao enredo da peça como o maxixe do cordão Terror dos inocentes. Só em 1939, quando a jornalista Mariza Lira preparava a primeira biografia da compositora, Ó abre alas foi publicada na sua integralidade, já reconhecida como pioneira. Por décadas, a marchinha foi gravada, ora arranjada ora enxertada. Dos registros fonográficos mais curiosos estão a de Mário Pinheiro, Cordão carnavalesco (Flor do Enxofre Vermelho), para a Odeon Record, em 1905, e a da Banda da Casa Edison, arranjada pelo maestro regente Santos Bocot, em disco Odeon de 1911. A primeira gravação da canção na íntegra foi feita pelas cantoras Linda e Dircinha Batista, em 1971, quando a memória coletiva já a consagrara como um clássico do cancioneiro brasileiro, como um pedido de passagem do “povo da lira” para a vitória – no carnaval e na vida. A maestrina escreveu a marchinha também para pequena orquestra: piano e canto, 1º violino, 2º violino, contrabaixo, violoncelo, trombone, 1º e 2º trompetes, clarineta (si b). Ó abre alasrecebeu gravação de Antonio Adolfo (teclados), com Nilson Chavez (voz) e Vital Lima (voz), em 1985; novamente Antonio Adolfo (piano), com Cláudio Spiewak (violão), Gabriel Vivas (contrabaixo) e Ivan Conti (bateria), em 1997, e, no seu centenário, em 1999, foi gravada por Maria Teresa Madeira (piano); Clara Sverner (piano) com Paulo Moura (sax alto); Marlene, Emilinha e Ângela Maria (voz) com Leandro Braga (piano); Turíbio Santos (violão); Leandro Braga (piano) com Zero (percussão) e Adriano Giffoni (baixo); e Rosamaria Murtinho, elenco e músicos da montagem da peça Ó abre alas, de Maria Adelaide Amaral, com arranjo vocal de Cláudio Botelho. Em 2000, teve gravação por Anna Maria Kieffer (voz) e Achile Picchi (piano)." (Edinha Diniz, 2011, Site Oficial ChiquinhaGonzaga.Com)

LETRA

*
Ó abre alas
Que eu quero passar
Ó abre alas
Que eu quero passar
Eu sou da lira
Não posso negar
Eu sou da lira
Não posso negar
Ó abre alas
Que eu quero passar
Ó abre alas
Que eu quero passar
Rosa de Ouro
É que vai ganhar
Rosa de Ouro
É que vai ganhar
**
Ó abre alas
Eu quero passar
Ó abre alas
Eu quero passar
Rosa de Ouro
Não pode negar
Rosa de Ouro
Não pode negar


Referências e Sites relacionados:

Chiquinha Gonzaga. Disponível em: http://chiquinhagonzaga.com/wp/. Acessado em: 13 Jan. 2016.

domingo, 24 de janeiro de 2016

Saúde ou beleza: o que Botero pinta?

O artista colombiano Fernando Botero afirmou em entrevista (2013) que é atraído por volumes, a sensualidade da forma.

Como explicar sua insistência em repetir os temas? Em suas palavras: "Se pinto uma mulher, um homem, um cachorro ou um cavalo, o faço sempre com a ideia do volume (...) A arte pré-colombiana, por exemplo, é disforme e bela."

Quando o assunto transcende a Arte para a saúde pública, o Conselho Federal de Nutricionistas (CNF, 2016) propõe o Pacto do Bem, a corrente pela alimentação saudável e adequada. É um incentivo hábitos adequados que podem trazer benefícios ao longo da vida. São as diretrizes e eixos:

-Reduzir de forma progressiva os teores de açúcar adicionado, de gorduras e sódio nos alimentos processados e ultraprocessados.

-Promover hábitos alimentares saudáveis para a população brasileira.

-Aumentar a oferta e disponibilidade de alimentos saudáveis de alimentos saudáveis, provenientes da agricultura familiar, orgânicos, agroecológicos e da sociobiodiversidade.

-Fomentar a educação alimentar e nutricional nas áreas da saúde, educação e assistência social .

-Reduzir o uso de agrotóxicos e induzir modelos de produção de alimentos agroecológicos.

-Articular ações para enfrentar a obesidade e doenças decorrentes da má alimentação.

-Promover o direito humano à alimentação adequada.


Fontes:

Mala Direta. Jan.2016. Conselho Federal de Nutricionistas. [http://www.cnf.org.br]
Artista colombiano Fernando Botero diz que não está "obcecado por mulheres gordas". Disponível em: http://zh.clicrbs.com.br/rs/entretenimento/noticia/2014/03/artista-colombiano-fernando-botero-diz-que-nao-esta-obcecado-por-mulheres-gordas-4447854.html. Acessado em 24 Jan 2016.

domingo, 10 de janeiro de 2016

Alimentação saudável na arte maneirista do italiano Giuseppe Arcimboldo (1527-1593)

No mesmo tempo em que acontecia o Renascimento na Europa, outros artistas buscaram novas formas de representar da realidade. Era o Maneirismo (1520-1610).

Esse movimento artístico tem por características a estilização exagerada e o capricho nos detalhes e no século XX foi comparado com o Surrealismo, por alguns críticos de arte.

Giuseppe Arcimboldo (1527-1593) foi um pintor italiano que explorou imagens da natureza (frutas, verduras, legumes e flores) em suas obras para transformar imagens do cotidiano em leituras de dupla interpretação.

Diferente de El Greco e de Tintoretto, que enfatizam o aspecto espiritual na arte e à religiosidade católica, as obras de Arcimboldo são um verdadeiro jogo visual. Por exemplo, nas suas paisagens antropomorfas os corpos e as faces humanas são sugeridos pela representação dos relevos, das árvores, das pedras e de outros elementos.


Se imaginássemos a montagem em 3D de todos os alimentos e objetos que comporiam uma de suas pinturas teríamos a seguinte animação.

(Fonte: https://youtu.be/JCTfkxkdxP4?t=27)

Na pintura O Cozinheiro (c. 1570), existe o uso dos alimentos e também a possibilidade de "girar a imagem" para apreciar uma belíssima natureza morta.

Fonte: http://www.wga.hu/support/viewer/z.html
Depois de tantas dicas, que tal pensarmos quais os benefícios dos alimentos em nossa mesa? Legumes, verduras e frutas são fundamentais para a manutenção de nossa saúde. Veja como ...  (É de dar água na boca, humm...!)

Legumes
ABOBRINHA
Contém Fósforo, Cálcio,  Ferro e Celulose. Al´me de pequenas quantidade de vitamina A (importante para a visão e a pele) e vitaminas do complexo B, que ajudam no desenvolvimento e crescimento.


ALHO
Indicado contra a hipertensão, picadas de inseto, diurético, expectorante, antigripal, febrífugo, desinfetante, anti-inflamatório, antibiótico, antisséptico, vermífugo (lombriga, solitária e ameba), para arteriosclerose e contra ácido úrico.
BATATA
É fonte importante de Fósforo, vitaminas do grupo B e se destaca como fonte de vitamina C entre os alimentos básicos. 
BERINGELA
Contém pequenas quantidades de vitamina B5 e sais minerais como Cálcio, Fósforo e Ferro. A Niacina (vitamina B5) proteje a pele e ajuda a regularização do sistema nervoso e digestivo. Os minerais Cálcio, Fósforo e Ferro contribuem para a formação de ossos, dentes, construção muscular e coagulação do sangue.
CEBOLA
Pode ser considerada como auxiliar do organismo na defesa conta infecções, eliminando ao mesmo tempo eventuais substancias tóxicas através dos rins, resultada da ação dos seus sais minerais, principalmente Fósforo, Ferro, Cálcio, vitaminas do complexo B e vitamina C.
CENOURA
É rica em betacaroteno (que no organismo se transforma em vitamina A), vitamina C, vitamina E e fibras. Possui, ainda, flúor, magnésio, ferro, cálcio, fósforo, iodo, potássio, arsênico, cobalto, manganês e silício.
PEPINO
Esta hortaliça é um ótimo tônico para o fígado, rins e vesícula. Dá força aos cabelos e unhas, pelo seu alto teor de sílica e flúor.
PIMENTÃO
É uma das hortaliças mais ricas em vitamina C e quando maduro é excelente fonte de vitamina A. Também é fonte de Cálcio, Fósforo e Ferro. Possui poucas calorias.
Verduras
AGRIÃO
Assim como a maioria das verduras de folha, o agrião é um vegetal  de baixo teor calórico. Fornece 22 calorias em cada 100 gramas. Ele é considerado uma das principais fontes de vitamina A, essencial para a boa visão e para manter a saúde da pele. Apresenta ainda vitaminas do Complexo B (responsáveis pelo crescimento), além de grande quantidade de vitamina C.
ALFACE CRESPA
Possui vitamina A, C, Niacina, Cálcio, Fósforo e Ferro. É considerada um bom calmante e atua contra a insônia. Tem alto teor de fibras.
ALFACE LISA
Tem quantidades razoáveis de vitamina A, C, Niacina e também outros minerais como Cálcio, Fósforo e Ferro. Entre as muitas propriedades a alface é também considerada como ótimo calmante e remédio contra insônia.
BRÓCOLIS
É um vegetal muito rico em Cálcio e Ferro. Possui minerais importantes para a formação e manutenção de ossos, dentes e a integridade do sangue; possui ainda vitamina A, indispensável à boa visão e à saúde da pele; vitamina C, que se perde durante o cozimento usual.
COUVE
Muito rico em Cálcio, Fósforo e Ferro. Possui minerais importantes para a formação e manutenção dos ossos, dentes e à integridade do sangue. Contém ainda vitamina A, indispensável à boa visão e a saúde da pele; vitaminas do complexo B, que tem por função proteger a pele, evitar problemas no aparelho digestivo e do sistema nervoso.
COUVE-FLOR
Possui quantidade apreciável de sais minerais importantes que atuam na formação dos ossos, dentes e sangue, entre eles, estão o Cálcio, Fósforo e o Ferro. Além disso apresenta vitaminas do Complexo B (B2 e B5) que tem por funções evitar o problema de pele, do aparelho digestivo que são essenciais ao crescimento e evitam a queda dos cabelos.
ESPINAFRE
É uma verdura que tem alto valor nutritivo. Possui minerais como Ferro, Cálcio e Fósforo, além de vitamina A e do Complexo B. O Ferro é muito importante para a formação do sangue; o Cálcio e o Fósforo participam na formação dos ossos, dentes, construção muscular e coagulação do sangue.
REPOLHO
Esta hortaliça crua é uma ótima fonte de vitaminas A e C. O repolho branco é depurativo do sangue, estimulante da digestão, auxilia no combate á tuberculose e também em todos os casos de cansaço físico. O repolho roxo, por sua vez, tem propriedades estimulantes na produção de hormônios e auxilia na queima de gorduras.

Frutas
BANANA
Combate a diarreia e a anemia. Calmante, favorece a formação, secreção e excreção do leite.
GOIABA
Ajuda na recuperação física, previne constipação e hemorragias. Usado na tratamento de diarreias. Ela contém Cálcio, Fósforo, Niacina, vitaminas A, B1, B2 e C.
Combate a falta de vitamina C, estimulante do apetite, reguladora intestinal, laxante, diurética, combate o reumatismo, calmante, digestiva, antifebril, anti-hemorrágica, combate a nevralgia, restaura o fluxo menstrual (quando escasso ou ausente), combate a nefrite, depurativa, age contra as verminoses, entre outros benefícios.
MAÇÃ
Combate a diarreia e as afecções das vias respiratórias. Alimento para o cérebro.
MAMÃO
É laxante, diurético, tem a propriedade de amolecer os tecidos, atenuar as inflamações, os inchaços e as queimaduras. Alivia as dores e cura as feridas. Tem ação refrescante.
MANGA
É excelente purificador do sangue e bom diurético, além de promover a regularidade intestinal. Indicada nas enfermidades das vias respiratórias, como catarros, tosse e bronquite. Atua como um ótimo expectorante se preparado de preferência como xarope com mel. Comido pela manhã, combate a acidez e outras doenças do estômago.
MORANGO
Contém grande quantidade de vitamina C que evita a fragilidade dos ossos, má formação dos dentes, dá resistência aos tecidos, age contra infecções, ajuda a cicatrizar ferimentos e evita hemorragias.
PERA
É muita apreciada por suas propriedades nutritivas e  pelo delicado sabor. Ideal para regimes, tem baixo valor calórico. Contém quantidades razoáveis de vitaminas B1, B2, Niacina e todas do Complexo B, que regulam o sistema nervoso e o aparelho digestivo, fortificando o músculo cardíaco. Elas são essenciais ao crescimento e evitam a queda dos cabelos e problemas de pele.


Referências e Sites Relacionados:

Giuseppe Arcimboldo. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Giuseppe_Arcimboldo. Acessado em: 10 Jan. 2016.

MARTINS, Simone R.; IMBROISI, Margaret H. Linha do Tempo: Maneirismo. Disponível em: http://www.historiadaarte.com.br/linha/maneirismo.html. Acessado em: 11 Jan. 2016.

Tabloide-calendário do Sacolão Oriente e Restaurante Dom Oriente. Curitiba, 2016.

Web Gallery of Art: Giuseppe Arcimboldo. Disponível em: http://www.wga.hu/frames-e.html?/html/a/arcimbol/. Acessado em: 10 Jan. 2016.

Viver é uma Arte... e Design!

Todos os dias pensamos onde está a beleza de viver. Respondo: em toda parte!

Parece frívolo, mas não é. Perceber que tudo o que está ao nosso redor foi feito por nós e por outras pessoas... É incrível!

Hoje aproveitamos o conhecimento em Arte somado através dos séculos para nosso conforto.

E não para por aí.

Viver é uma Arte e criar é consequência...


Participe!